[2021] Aneurisma Cerebral: tudo o que você precisa saber.

5
(3)

Neste artigo iremos falar sobre aneurisma cerebral e as formas de tratamento, imagine a seguinte situação: Você está ao lado do seu melhor amigo assistindo um show da sua banda de rock favorita, seu amigo tem 40 anos de idade e não apresenta problemas de saúde.

O mesmo sempre levara uma vida relativamente saudável, exceto pelo hábito de fumar e ingerir bebida alcoólica com certa frequência.

Vocês estão se divertindo muito, de repente seu amigo vira para você e informa que está sentindo uma dor de cabeça muito forte. Ele refere que nunca havia apresentado tal dor anteriormente.

Você inicialmente não dá tanta importância a queixa, afinal vocês estão no show de rock, com muito barulho, aglomeração e agitação.

Logo em seguida ele começa a vomitar e a ficar confuso e desorientado, falando palavras desconexas.

Ele começa a suar frio e a cambalear, pede que você o apoie para que não caia no chão, pois está muito tonto.

Tudo isso acontece em questão de alguns minutos, você preocupado com seu amigo o leva para um lugar mais calmo e pede que o mesmo seja levado à enfermaria.

Ao ser atendido você percebe que ele está com a pressão arterial muito alta e com o coração acelerado.

Alguns minutos depois ele começa a ter uma convulsão, a equipe administra medicamentos e o remove rapidamente de ambulância para o hospital.

Após avaliação e realização de exames, você é informado que seu amigo teve uma hemorragia cerebral e a causa desta hemorragia foi a ruptura de um aneurisma cerebral.

O que é aneurisma cerebral ?

aneurisma cerebral

Aneurisma cerebral é uma dilatação de um vaso sanguíneo do cérebro que ocorre devido ao enfraquecimento da parede deste vaso.

Um aneurisma é uma espécie de balão de uma região enfraquecida de um vaso sanguíneo.

Se não for tratado, o aneurisma continua a enfraquecer até se romper e provocar uma hemorragia ou sangramento no cérebro.

As pessoas geralmente não nascem com aneurismas, a maioria se desenvolve na idade adulta.

Os aneurismas geralmente aumentam lentamente de tamanho e se tornam mais fracos à medida que crescem. Assim como um balão se torna mais fraco à medida que se estende.

Fatores de risco quando não forem hereditários, são totalmente preveníveis, tais como:

  • Tabagismo
  • Pressão alta
  • A deficiência de hormônios (no caso das mulheres, o estrógeno, por exemplo).

E alguns aneurismas são causados por: infecções, uso de drogas tais como anfetaminas, cocaína ou traumatismos no crânio, causados por acidente.

Aneurisma cerebral: Sinais e sintomas

Como reconhecer se uma pessoa está tendo sangramento ou um aneurisma cerebral?

Na maior parte dos casos o aneurisma cerebral não causa qualquer tipo de sintoma e por isso tende a ser descoberto apenas quando se rompe.

Causando uma dor de cabeça extremamente intensa, que pode surgir de uma forma abrupta e pode ir aumentando conforme o passar do tempo.

A sensação da cabeça estar quente, de que há um vazamento, e parece que o sangue se espalhou, também pode acontecer em algumas pessoas.

Em alguns pacientes, o aneurisma cerebral pode causar sintomas decorrentes do seu crescimento, sendo os principais sintomas:

  • Dor no olho
  • Visão dupla
  • Queda da pálpebra
  • Dificuldade para movimentar o olho

Estes sintomas decorrem da compressão de nervos que controlam os movimentos circulares.

O quadro mais comum é que os sintomas surgem apenas quando o aneurisma se rompe ou quando ele está vazando.

Nestes casos os sintomas são semelhantes ao de um AVC hemorrágico.

  • Incluem dor de cabeça muito intensa e repentina, que piora com o tempo
  • Náuseas e vômitos
  • Endurecimento do pescoço, visão dupla
  • Convulsões e desmaio.

Quando esses sintomas surgem e sempre que existe suspeita de um rompimento de um aneurisma, é muito importante chamar imediatamente ajuda médica, ligando para a emergência ou levando a pessoa imediatamente para o hospital, para que ela possa iniciar o tratamento adequado.

É importante ressaltar que existem outros problemas que podem causar sintomas semelhantes, como a enxaqueca, não sendo necessariamente um caso de aneurisma.

Por isso, se a dor de cabeça for intensa, e surgir muito frequentemente, deve-se consultar um médico especialista, para identificar a causa correta e iniciar o tratamento mais adequado.

Como confirmar o diagnóstico de aneurisma cerebral?

Geralmente para confirmar a presença de um aneurisma cerebral, o médico precisa pedir exames de diagnóstico para avaliar as estruturas do cérebro e identificar se existe alguma dilatação dos vasos sanguíneos.

Exames mais utilizados incluem: a tomografia computadorizada de crânio, a ressonância magnética e angiografia cerebral.

A tomografia computadorizada de crânio é extremamente útil na visualização do sangramento.

A ressonância magnética e a angiografia cerebral destinam-se aos estudos dos vasos sanguíneos e identificação do aneurisma propriamente dito.

O que causa o aneurisma cerebral? 

Como dito anteriormente, as pessoas não nascem com aneurisma na grande maioria das vezes, entretanto as causas exatas ainda são pouco conhecidas, mas alguns fatores de risco favorecem ou aumentam o risco de desenvolver um aneurisma cerebral.

Dentre estes fatores estão:

  • Tabagismo
  • Pressão alta descontrolada
  • Uso de drogas, especialmente a cocaína
  • Consumo de bebidas alcoólicas em excesso
  • Histórico familiar

Além disso doenças que estão presentes no nascimento, também podem aumentar as chances de ter um aneurisma cerebral, como por exemplo: doença dos ovários policísticos, estreitamento da artéria aorta ou má formação cerebral, bem como doenças que enfraquecem os tecidos do corpo, conhecidas como doenças do colágeno.

Pessoas que têm estes problemas possuem maior chance de desenvolver um aneurisma cerebral ao longo da vida.

Como é feito o tratamento do aneurisma cerebral?

O tratamento é bastante variável e pode depender não só do histórico de saúde da pessoa, mas também do tamanho e localização do aneurisma, bem como se o aneurisma está íntegro ou se rompeu.

Assim os tratamentos mais utilizados incluem:

Para os aneurismas incidentes ou aqueles que ainda não romperam, na maioria das vezes é optado por não tratar e fazer o acompanhamento regular, para verificar se ele está aumentando de tamanho.

Isto porque durante o tratamento existe o risco do aneurisma se romper, assim o normal é que se faça uma avaliação regular do tamanho da dilatação e da localização do aneurisma para avaliar se ele está ou não aumentando de tamanho.

Além disso, podem ser prescritos alguns remédios que ajudam aliviar alguns dos sintomas, como a dor, por exemplo.

E também caso haja outras manifestações, como convulsões, por exemplo, só pode tomar um remédio para tratar isto.

No entanto, em alguns casos, mesmo que o aneurisma não tenha se rompido, o médico pode optar por fazer o tratamento endovascular, através de cateterismo, colocação de um stent para prevenir o rompimento.

Este costuma ser um procedimento bastante delicado e deve ser feito por um médico especialista, pois o risco de ruptura do aneurisma durante o procedimento.

Por isso é preciso fazer uma avaliação minuciosa dos riscos e benefícios desse tratamento, e principalmente para explicar tudo isso ao paciente e seus familiares.

Os aneurismas que se romperam constituem em uma emergência médica e por isso deve-se ir imediatamente ao hospital para iniciar o tratamento adequado, o que normalmente é feito por meio do fechamento do aneurisma através de cateterismo ou mesmo de uma cirurgia.

Quanto mais cedo o tratamento for feito, menores serão as chances de desenvolver sequelas para toda a vida, já que menor será a área do cérebro afetada.

Entretanto, muitas vezes, mesmo após o tratamento, uma vez que o aneurisma já se rompeu e o sangramento já ocorreu, ainda podem ficar sequelas, mesmo que o aneurisma seja fechado.

Quando o aneurisma se rompe, os sintomas são idênticos ao de um acidente vascular cerebral hemorrágico.

Aneurisma cerebral: sequelas 

Um aneurisma cerebral pode causar sangramento dentro do cérebro, no espaço entre o cérebro e as meninges, que é onde circula o líquido cefalorraquidiano chamado de espaço subaracnóide.

Neste caso se chama hemorragia subaracnoide. Ela também pode causar uma hemorragia dentro do tecido cerebral, formando um coágulo que é um sangramento que acontece no meio do cérebro.

Após um aneurisma, a pessoa pode não ter nenhuma sequela, mas algumas podem apresentar, por exemplo, alterações neurológicas semelhantes a de um acidente vascular cerebral: 

  • Dificuldade para movimentar um braço por falta de força
  • Dificuldade para falar
  • Lentidão do pensamento
  • Dificuldade para movimentar uma perna
  • Dificuldade para ter sensações em determinadas regiões do corpo
  • Perda de memória
  • Dificuldade para dormir

As pessoas que já tiveram aneurisma possuem um maior risco de sofrer um novo evento, por isso é muito importante conhecer como prevenir isto e sobre sua ruptura.

Como prevenir um aneurisma cerebral e a sua ruptura?

Se você tiver um aneurisma cerebral que ainda não rompeu existem alguns passos que você pode tomar para diminuir o risco de ruptura.

Entre eles estão:

Tenha hábitos de alimentação saudáveis.

Inclua alimentos frescos e integrais: frutas, peixes e aves.

Evite carnes gordurosas, fast food, limite bebidas açucaradas, produtos lácteos ou com baixo teor de gordura.

Opte pelo uso do azeite para preparar seus alimentos.

Mantenha bons níveis de pressão arterial

A pressão arterial é um fator de risco muito importante para os aneurismas, faça as devidas alterações em seu estilo de vida.

Para administrá-la, isso inclui uma alimentação saudável com baixo teor de sódio.

Pratique exercícios regularmente

Controle o stress

Mantenha o peso saudável

Um programa regular de exercícios físicos pode: reduzir a pressão arterial, gordura do sangue, aumentar o colesterol bom. Combinado com uma dieta saudável, lhe fará perder peso.

Certifique-se de incluir atividades aeróbicas: caminhar, correr, nadar e exercícios de treinamento de força que tenham como alvo todos os principais grupos musculares.

É provável que seu médico recomende evitar exercícios vigorosos e atividades extenuantes.

Logo fale com ele sobre um programa de baixo impacto, e coloque em prática estes hábitos saudáveis.

Reduza e gerencie o estresse

Quando você está sob estresse seu corpo libera adrenalina, um hormônio que faz com que sua respiração frequência cardíaca e pressão sanguínea aumentem.

Além disso, o estresse pode levar a comportamentos não saudáveis como ingerir álcool, que pode aumentar a pressão arterial.

Embora os estresses diários sejam inevitáveis, a forma como você reage a eles pode fazer muita diferença.

Evite o abuso de álcool

Se você tem algum fator de risco genético para o aneurisma, considere evitar o álcool completamente.

Atenção com a apneia

Se você ronca ou acorda cansado depois de dormir a noite toda, você pode ter apneia obstrutiva do sono, que está associada à progressão dos aneurismas em determinadas regiões do corpo, e podem levar a resultados ruins para aqueles com aneurismas cerebrais.

Não fume

Se você fuma, pare! O tabagismo tem sido associado a formação, crescimento e aumento da taxa de ruptura dos aneurismas cerebrais.

Converse com seu médico, se você tem um histórico pessoal ou familiar de aneurismas cerebrais, informe o seu médico e não esqueça de relatar qualquer sintoma imediatamente.

Recuperação 

Para reduzir as limitações que o sangramento decorrente do aneurisma provoca e recuperar alguns danos causados pela doença, é fundamental fazer o tratamento com uma equipe multidisciplinar mesmo após a alta hospitalar.

Algumas terapias que podem ser usadas são:

Sessões de fisioterapia

Com fisioterapeuta especializado para ajudar o paciente a recuperar o equilíbrio, a forma e o tônus muscular. Podendo voltar a andar, sentar ou deitar sozinho.

Terapia ocupacional

A estimulação cognitiva com terapeutas ocupacionais e enfermeiros que realizam jogos e atividades para diminuir a confusão e os comportamentos adequados.

Terapia da fala

Com terapeutas da fala, de forma a recuperar a capacidade de se expressar.

O tratamento deve ser iniciado logo que possível, ainda no hospital e mantido em clínicas de reabilitação ou em casa devendo ser realizado diariamente, para que a pessoa possa recuperar maior independência e ganhar mais qualidade de vida.

O tempo de internamento no hospital vai depender da gravidade do sangramento, porém na maioria dos casos é de pelo menos uma semana no hospital ou até mais. Podendo ser mantido por mais de um mês numa clínica de reabilitação.

Além disso, em casa é necessário continuar fazendo o tratamento, para diminuir as consequências a longo prazo.

Para concluir

O aneurisma cerebral costuma ser silencioso, quando não se rompe, mas quando há o rompimento se torna uma doença grave, emergência médica que pode levar à morte ou deixar sequelas incapacitantes.

Através do controle dos fatores de risco, é possível prevenir a ocorrência do aneurisma.

O aneurisma cerebral é comum em pessoas adultas e jovens, mas pode ocorrer em idosos também. Estão relacionados aos hábitos de vida.

Ao suspeitar que uma pessoa está tendo sangramento no cérebro, você deve acionar imediatamente o serviço de urgência, e a pessoa deve ser levada ao hospital para receber os cuidados adequados.

Caso fique alguma sequela do sangramento decorrente do aneurisma, deve-se cuidar para reabilitação da pessoa para que ela possa retomar suas atividades o mais breve possível.

Gostou desse artigo? Deixe seu comentário e compartilhe conosco sua opinião. 

Gostou? Nos ajude avaliando este artigo, por favor.

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Deixe um comentário