[2022] Dor no pescoço do lado esquerdo: como tratar?

5
(7)

Imagine a seguinte situação:

Você está em uma tarde ensolarada, passeando de bicicleta em um parque da sua cidade, quando percebe que existe uma linha de pipa estendida a sua frente na altura do seu pescoço.

Você desvia rapidamente da linha esticando o seu pescoço para evitar um dano direto. Entretanto, ao se desviar, sente uma forte dor do lado esquerdo do pescoço, associada a dormência do mesmo lado do rosto e dificuldade para se equilibrar.

Isso obriga você a deixar de lado a bicicleta e pedir ajuda. 

Ao se recuperar com ajuda de terceiros, você retorna para sua casa e toma um analgésico, obtendo alívio parcial da dor, entretanto, o desequilíbrio e a dormência persistem. 

Você espera ficar melhor, mas poucas horas depois a dor retorna com intensidade mais forte, então decide ir ao médico. 

Ao ser atendido e realizar exames de imagem, você é informado que a dor no pescoço do lado esquerdo foi decorrente de uma dissecção da artéria vertebral esquerda e que você precisará ficar internado para receber o tratamento adequado.

O que é uma dor no pescoço?

dor no pescoço do lado esquerdo

É uma situação caracterizada pela dor que incide no pescoço, ou seja na região cervical, principalmente na região da nuca ou mesmo na região anterior do pescoço.

Na maioria dos casos, a dor cessa espontaneamente, ou seja, o episódio agudo de dor passa com o tempo, porém em algumas pessoas elas podem se tornar crônicas durando mais de 3 meses.

Esta situação é bastante comum atualmente devido aos vários fatores presentes no estilo de vida contemporâneo, por isso atinge mais as pessoas na idade adulta de ambos os sexos. 

Embora os dados epidemiológicos apontem que as dores no pescoço acometem mais mulheres do que homens, cujas porcentagens são de 43% e 30% respectivamente.

Quais as causas de dores no pescoço?

Existem diversos fatores que podem provocar dores no pescoço, vale acrescentar ainda que alguns fatores de risco que podem contribuir com a predisposição de uma pessoa para desenvolver dores no pescoço, dentre estes estão:

  • Tabagismo, que contribui com o envelhecimento dos discos intervertebrais;
  • A obesidade, que está relacionada à sobrecarga do sistema músculo-esquelético;
  • A idade também é um fator de risco no que tange a piora da postura e o envelhecimento dos discos intervertebrais;

Além disso, é comum que a pessoa idosa passe a permanecer mais tempo em casa e na cama, com o sedentarismo e também redução das tarefas.

Geralmente a anatomia da coluna cervical permite a flexibilidade e movimento em circunstâncias normais, isso no entanto, também permite um certo grau de vulnerabilidade a várias forças físicas.

Frequentemente sujeitamos nossa coluna cervical a posições incomuns enquanto sentamos, dirigimos e usamos o telefone ou mesmo o computador.

Esse alto nível de mobilidade também propicia alterações degenerativas prematuras, devido ao abuso e uso excessivo da região cervical.

Certos problemas são pequenos e de vida curta, outros são mais incapacitantes, persistentes e ameaçadores. 

Seja ela anatômica ou por maus hábitos, gera sobrecarga sobre os músculos cervicais, tais hábitos incluem: 

  • Uso de celular, com a cabeça baixa;
  • Sentar-se de forma não ereta; 
  • Posicionar-se a televisão ou computador muito acima ou muito abaixo do nível dos olhos;
  • Não praticar atividade física;
  • Posição inadequada para dormir, por exemplo, a região do pescoço permanece mal posicionada por tempo prolongado, com desequilíbrio da musculatura do trapézio e também da musculatura paravertebral, na qual podem ficar sobrecarregados e acabar gerando dor miofascial 
  • O estresse;

Em geral, fatores emocionais e psicossomáticos estão muito associados a causa da dor no pescoço, devido à tensão causada. 

Por isso é preciso identificar o fator causador do estresse como: a pressão no trabalho, o luto, divórcios, problemas financeiros e outros.

Sobre a depressão, saiba que este distúrbio psicológico pode ocasionar diversos episódios de dores no pescoço. Pois ocorre alteração em diversos níveis, além disso a pessoa deprimida costuma permanecer muito tempo deitada, inativa e cabisbaixa.

O bruxismo, esta condição pode desencadear dor no pescoço devido à pressão que causa nos músculos adjacentes na região da mandíbula, ou seja afeta a região cervical diretamente.

Doenças reumáticas como artrose e osteoporose podem estar ligadas ao desenvolvimento de dores no pescoço. 

A hérnia de disco que causa degeneração do disco intervertebral, geralmente ocasionado por conta do envelhecimento dessa região, também pode estar relacionada a criação de dores no pescoço. Pois a alteração discal influencia na anatomia normal das vértebras, modificando a curvatura correta da região cervical.

Esforços repetitivos, serviços ou atividades que sobrecarregam o pescoço são capazes de causar tensões nesta região.

Fatores neurológicos podem haver compressão de uma raiz nervosa, porém este fator é mais raro, sendo encontrado em cerca de 1% das pessoas. 

Falta de ergonomia no trabalho, isso consiste na condição adequada de trabalho, que promova a conservação da saúde e segurança do trabalhador.

De forma que a estação de trabalho, a posição do computador, a cadeira e o modo de manipulação de objetos podem desencadear dores no pescoço. Bem como o estresse causado no ambiente de trabalho.

Traumas, acidentes, pancada ou queda que tenha afetado a região cervical também podem desencadear quadros crônicos de dores no pescoço.

Quais são os sintomas da dor no pescoço?

A pessoa que tem dor no pescoço relata: 

  • Dor
  • Rigidez
  • adormecimento da região afetada 
  • Dificuldade e limitação de movimentar a cabeça 

Além disso, a pessoa costuma adotar uma atitude de defesa da região acometida, ou seja evitando movimentos e posições que intensifiquem a dor.

Os exames de imagem costumam ser feitos para afastar possíveis causas secundárias como por exemplo: radiculopatia que é a compressão de um nervo por uma hérnia de disco,  estenose do canal cervical que é uma redução do espaço por onde passam os nervos, além de possíveis fraturas, infecções ou tumorações na região cervical. 

Os principais exames solicitados pelos médicos são: o raio x, a tomografia computadorizada, a ressonância magnética da coluna cervical e a eletroneuromiografia para avaliar a função dos nervos.

A arteriografia costuma ser feita quando há suspeita de dissecção da artéria carótida ou da artéria vertebral.

Dor no pescoço do lado esquerdo: o que fazer?

Assim que o diagnóstico indicar a circunstância da dor no pescoço é possível direcionar o tratamento, pois as intervenções dependem da gravidade da idade da pessoa, se algum fator neurológico e se há lesões mais graves. 

No entanto, em todos os casos o tratamento inicial da dor no pescoço do lado esquerdo envolve o repouso relativo, o que não significa permanecer no leito, mas sim evitar esforço e uso da musculatura afetada.

Além disso, faz parte do tratamento conservador a reeducação fisiológica nos aspectos que forem necessários a cada caso, os quais envolvem:  

  • A adoção de uma postura mais adequada 
  • Aquisição de travesseiros e colchão mais anatômicos
  • Atividade física de fortalecimento e alongamento a
  • Buscar ergonomia no ambiente de trabalho

Ainda no tratamento conservador existem medicamentos que podem ajudar no alívio de dor no pescoço do lado esquerdo, principalmente nos quadros agudos. 

Os principais analgésicos utilizados são a Dipirona e o Paracetamol, em algumas pessoas torna-se necessário o uso de medicamentos à base de opióides como o Tramadol e a Codeína. E existem novas formulações no mercado, inclusive na forma de adesivos com liberação lenta e prolongada. 

O uso de anti-inflamatórios não hormonais como: Diclofenaco, Ibuprofeno e Nimesulida são de praxe para dores no pescoço agudas, e devem ser utilizados por curto período de tempo em caso de dores crônicas agudizadas ou dor aguda.

Os relaxantes musculares também muito utilizados no tratamento destas patologias, costumam afetar o sistema músculo-esquelético e causarem o relaxamento muscular com uma ciclobenzapina.

Alguns anestésicos podem ser usados em casos de dores mais intensas e persistentes, nesses casos pode-se fazer a injeção de Lidocaína local, que é um anestésico que age localmente porém é possível encontrar esta substância na forma de pomadas ou na forma de gel para uso tópico.

Para alguns pacientes em que as dores também  são recorrentes pode-se usar injeção de Toxina botulínica que também tem um efeito analgésico prolongado, diminuindo as contrações e os episódios de dor.

Vale ressaltar que estas intervenções são indicadas para pessoas que têm dores refratárias ao tratamento convencional e devem sempre ser orientadas por um médico. 

Os antidepressivos também podem ser utilizados nas pessoas que têm um fator psicológico envolvido com o surgimento da dor, como por exemplo: depressão, ansiedade ou mesmo estresse. 

Os mais utilizados são os antidepressivos tricíclicos como a amitriptilina, imipramina e a clomipramina. Os antidepressivos duais também são uma opção para esses pacientes.

Com relação a fisioterapia e tratamentos complementares, esses são indicados na fase de manutenção ou de reabilitação.

Outros tratamentos também podem fazer parte do planejamento do tratamento das pessoas com dores no pescoço, como: acupuntura, fisioterapia, massagens e até mesmo o uso de colar cervical.

A acupuntura contribui com o alívio da dor, pois estimula ao nível intramuscular através de terminações nervosas presentes na pele, levando informação ao cérebro de que aquela região necessita de um efeito analgésico.

A fisioterapia por sua vez auxilia no alongamento e recuperação da flexibilidade e funcionalidade dos músculos cervicais.

As massagens auxiliam no alívio da dor, pois a manipulação pode melhorar a circulação sanguínea e promove o relaxamento da sobrecarga.

Por fim, o colar cervical tem como função imobilizar a região cervical evitando que haja esforço, pois o mantém em sua posição anatômica.

O exagero no uso para lesões musculares pode acabar tendo efeito refratário de enfraquecimento muscular 

Quando a dor no pescoço for localizada ou mesmo lateralizada, como por exemplo, dor no pescoço do lado esquerdo, a causa pode ser um tumor ou mesmo uma hérnia de disco que comprime os nervos daquele lado.

Dor no pescoço do lado esquerdo e ombro

Quando a dor no pescoço caminha para o ombro, para trás na região da nuca ou mesmo para a região da orelha, isto pode significar a compressão de um nervo. 

Contraturas musculares localizadas também podem provocar dores de um lado do pescoço.

Uma das causas importantes de dor no pescoço do lado esquerdo é a dissecção da artéria carótida ou da artéria vertebral e essa dissecção pode ocorrer de forma espontânea, ou seja, sem nenhuma causa aparente ou mediante ao movimento de hiperextensão do pescoço.

Entretanto, a causa mais comum de dissecção da artéria carótida ou da artéria vertebral é algum trauma local na região do pescoço. 

Desde traumas mais sérios, como por exemplo,  acidente automobilístico, como traumas direto na região de pescoço até pequenas pancadas que podem ocorrer durante uma atividade física ou durante a prática de esporte.

Qualquer trauma na região da cabeça ou do pescoço também podem ocasionar dissecção da artéria carótida ou vertebral.

Existem várias descrições de casos de dissecção de artérias que ocorrem durante a prática de massagem no pescoço, shiatsu ou procedimentos similares. 

Também pode ocorrer durante episódios de fisioterapias intensas ou até mesmo em sessões de yoga. Ou por exemplo apenas da pessoa fazer aquele típico balançar da cabeça em shows de rock and roll on.

Causas menos comuns de dor no pescoço

A causa menos comuns de dissecção estão relacionadas a alguma doença do colágeno, as mais conhecidas são: as doenças reumatológicas como

  • Lúpus eritematoso sistêmico 
  • A fibrodisplasia
  • Síndrome de Marfan 
  • Ou alguma vasculite

Dor no pescoço do lado esquerdo que sobe pra cabeça

Um dos principais sintomas da dissecção de carótidas é a dor no local e próximo ao ponto da artéria onde ela dissecou.

Ou seja, no caso da artéria carótida, a dor costuma ser na região lateral do pescoço, ou no lado esquerdo ou no lado direito ou no lado da cabeça, onde a artéria sofreu a dissecção. E pode irradiar para a metade da cabeça ou para cabeça toda simulando até mesmo uma simples dor de cabeça ou uma crise de enxaqueca.

Dores de cabeça constantes devem ser examinadas por um neurocirurgião de sua confiança.

Algumas pessoas referem a dor no pescoço de um lado, por exemplo subindo para cabeça, denotando irradiação da dor através da musculatura que sustenta a cabeça na posição.

Para concluir…

A dor no pescoço é uma situação muito comum e causa impacto negativo na qualidade de vida. 

Na grande maioria das vezes ela não representa a gravidade, entretanto a mesma dor pode denotar doenças graves e que requerem tratamento imediato. 

Ao sentir dor no pescoço você deve buscar tratamento e orientação, para receber os cuidados adequados. 

Caso a dor seja decorrente de dissecção de artérias do pescoço você deve buscar atendimento rapidamente.

Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e compartilhe conosco sua opinião. 

Gostou? Nos ajude avaliando este artigo, por favor.

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 7

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Leave a Comment